A Profecia do Exílio


   É muito interessante como a Divindade interior tem o dom de nos fornecer informações precisas em momentos oportunos.

   Há uma prática que ensinam os Mestres, para quando se queira uma resposta mais literal, já que a linguagem usada para nos responder através da meditação ou do desdobramento interno é distinto.

   A prática consiste em utilizar algum livro, principalmente a Bíblia para obter alguma informação precisa sobre algo.

   Primeiramente se faz uma oração, se roga a Lei Divina, ou ao Íntimo pela orientação que se necessita (se faz uma pergunta, etc.). Então de olhos fechados se abre ao acaso o livro e aponta o dedo frente a algum versículo que deve ser lido atentamente e tomado como resposta final sobre o assunto em questão. Se exige que se interprete dentro das leis da Analogia e com algum bom senso.

   Neste caso podemos usar isto para dialogar com os Mestres do Karma, com o Íntimo, com a Loja Branca, mas se formos observar é uma consulta como o que fazemos ao Tarot, ou a qualquer oráculo similar, já que pedimos aos Mestres ou ao Ser, que guiem nossos sentidos, para que possamos obter “o sinal” de resposta ao que ansiamos compreender.

   "1 Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

   2 Filho do homem, tu habitas no meio da casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê, tem ouvidos para ouvir, e não ouve; porque é casa rebelde.

   3 Tu, pois, ó filho do homem, prepara a bagagem de exílio, e de dia sai, à vista deles, para o exílio; e do lugar aonde estás parte para outro lugar à vista deles. Bem pode ser que o entendam, ainda que eles são casa rebelde.

   4 À vista deles, pois traze para a rua, de dia a tua bagagem de exílio; depois, à tarde sairás, à vista deles, como quem vai para o exílio.

   5 Abre um buraco na parede, à vista deles, e sai por ali.

   6 À vista deles aos ombros a levarás, às escuras as transportarás; cobre o teu rosto para que não vejas a terra; porque por sinal te pus à casa de Israel.

   7 Como se me ordenou assim eu fiz: de dia, levei para fora minha bagagem de exílio; então à tarde com as mãos abri para mim um buraco na parede; às escuras eu saí, e aos ombros transportei a bagagem à vista deles.

   8 Pela manhã veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

   9 Filho do homem, não te perguntou a casa de Israel, aquela casa rebelde: Que fazes tu?

   10 Dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Esta sentença refere-se ao Príncipe de Jerusalém e a toda a casa de Israel, que está no meio dela.

   11 Dize: Eu sou o vosso sinal. Como eu fiz, assim se lhes fará a eles; irão para o exílio, para o cativeiro.

   12 O príncipe que está no meio deles levará aos ombros a bagagem, e às escuras sairá; abrirá um buraco na parede para sair por ele; cobrirá o rosto para que seus olhos não vejam a terra.

   13 Também estenderei a minha rede sobre ele, e será apanhado nas minhas malhas; levá-lo-ei a Babilônia, à terra dos caldeus, mas não a verá, ainda que venha a morrer ali.

   14 A todos os ventos espalharei todos os que para o ajudarem estão ao redor dele, e todas as suas tropas; desembainharei a espada após eles.

   15 Saberão que eu sou o Senhor, quando eu os dispersar entre as nações e os espalhar pelas terras.

   16 Deles deixarei ficar alguns poucos, escapos da espada, da fome, e da peste, para que publiquem todas suas cousas abomináveis entre as nações para onde forem; e saberão que eu sou o senhor." - Ezequiel 12:1-16



MDCLXV