Subplanos Internos


   Tudo o que conhecemos tem subdivisões, sub-partes de si mesmo. Se observamos os anos, encontraremos os meses, as semanas, os dias, as horas os minutos, os segundos, os milésimos. Assim há o Milhar, a Centena, a Dezena a unidade e a fração. Se tomamos um Corpo, encontraremos sistemas, órgãos, células, moléculas, átomos e mesmo as diferentes sub-partes do átomo.

   No Planeta há continentes, há países, há estados, há cidades, há bairros, há ruas e há edifícios e seus apartamentos, por exemplo.

   Apesar de muita vezes citarmos as Diferentes Dimensões (Físico, Vital, Astral, Mental, Causal, Búdico e Átmico), bem temos de compreender que estas dimensões são compostas de diferentes camadas, diferentes seções, sub-planos, sub-partes de si mesma.

   Há pouca citação dos Mestres neste sentido destes Sub-planos, mas as encontramos, e também na prática podemos ver as diferentes facetas que se desenvolvem em um mesmo plano.

   Bem sabemos que existe a Supra-Consciência, a Consciência, a Inconsciência, a Subconsciência e a Infraconsciência, ainda que tudo isto nada mais seja do que Consciência e Inconsciência, ou ainda mais resumidamente “Estados de Consciência”.

   Assim o Astral por exemplo, é dividido da mesma forma, podemos estar no Astral, e ainda assim há diferentes nives desta região a ser explorada.

   No mundo podemos comparar isto aos Mares, as Terras, ao ar e ao Espaço. Podemos nos aventurar pelos oceanos, pelos continentes, pelo céu estrelado e mais além disto. No interno é similar, há diferentes sub-planos, sub-regiões as quais podemos penetrar.

   Como já comentamos em tempos passados, certa vez estava consciente no Plano Astral e pedi a Mãe Divina que me levasse até a Igreja Gnóstica, na esperança de participar de alguma prática que se estivesse realizando naquele dia ou mesmo receber alguma instrução, mas acabei indo parar na Igreja Gnóstica Interior. Ou seja, no local dentro de mim mesmo, aonde se reuniam as virtudes que haviam brotado ao longo do trabalho no Microcosmos. Na prática é a comprovação disto que estamos falando, já que neste caso específico, a Mãe certamente não equivocou-se, levou-me até aonde solicitei, mas como estava no sub-plano Astral Microcósmico (Interior), fui levado até esta região dentro de mim mesmo.

   Assim que os pesadelos, são desdobramentos Astrais que fazemos até estas regiões inferiores, sejam fora ou dentro de nós mesmos, conscientes ou inconscientes. É possível no Astral mudar de sub-plano, mas na prática alguma vezes vemos que é mais fácil desdobrar-nos para este sub-plano correto do que mudar o estado de consciência já no Astral.

   Assim que há este Astral Interno, o Externo, o Inferior o Superior e o Ultra... ainda que claro não sejam nomenclaturas exatas, são formas de entender e separar as diferentes regiões que compõe este plano, que estamos exemplificando.

   Certa vez, fiz o procedimento do Desdobramento e logrei pleno sucesso, como esperado. A grande diferença desta vez para as outras vezes, foi que a consciência me determinava que voltasse ao físico e repetisse o Desdobramento, exatamente por haver me desdobrado para este sub-plano errado, dizia ela. Assim repeti o experimento por mais três, quatro vezes, logrando sempre o Desdobramento em um sub-plano que não era o que esperava a Consciência manifestar-se naquele momento.

   Ainda que os diferentes planos sejam uma réplica, uma mesma coisa em diferentes camadas, há muitas criaturas, muitos eventos, lugares, que somente existem em algum sub-plano destes que comentamos. Poderíamos destruir algo dentro de nós mesmos, em nosso Astral Interior, em nosso Mental Interior, e obviamente isto continuaria existindo fora de nós mesmos.

   Muitas das iniciações as quais temos de passar no caminho da Grande Obra, ocorre exatamente isto. Vamos até uma região específica de um plano (um sub-plano), e lá travamos uma batalha, realizamos um evento, que resulta a mudança de algo no sub-plano interior, que é o que inevitavelmente temos de ir perfeicionando, Cristificando, já que corresponde ao corpo interno em si.

   Estes sub-planos não são regiões, e sim algo similar a paralelidade das Dimensões. Pois é como o Céu e o Abismo, eles coexistem no mesmo espaço, só necessitamos alterar o estado de Ânimo, o estado de manifestação da Consciência para nos transladar a um ou a outro.



MDCLXV