Cuidar dos Animais


   A Humanidade sempre teve uma relação muito grande com alguns espécimes de animais, estes comumente fizeram-se amigos inseparáveis do homem, companheiros para os momentos de triunfo ou mesmo de fracasso, também foram um grande impulso para algumas realizações humanas.

   Nós bem sabemos, ou deveríamos saber, que o Animal, nada mais é do que um protótipo de Homem (ser humano), porque a Alma que encontra-se no Animal é a mesma que um dia virá a encarnar-se como humano, ou que já esteve no reino humano e em um momento oportuno retornará novamente ao reino humano após passar pela involução e mais uma vez pela evolução.

   É claro que o Animal, assim como o Vegetal ou o Mineral, tem grandes limitações dentro de suas capacidades, se comparado ao organismo humano, mas, ainda assim, é um semelhante, no sentido mais íntimo da palavra, visto que é o mesmo princípio que ali desdobrado faz sua jornada até o reino humano.

   Uma noite, estando nas dimensões internas da natureza, observava alguns animais peçonhentos que eram maltratados não por uma maldade, mais por uma incompreensão de algumas pessoas que os detinham em sua posse, e me indagava acerca de tais situações as quais estas pobres Almas estavam submetidas.

   As cobras em questão eram mantidas em certos lugares específicos (algo similar a uma caixa) com o uso de equipamentos elétricos que lhe davam choques caso tentassem sair de seus pequenos recipientes e logo as via sendo submetidas a procedimentos de extração de seu veneno.

   Após surgiu um bom homem, o Arqui-Hierofante, e com todo seu esplendor, faz citações e explicações acerca da natureza e dos cuidados e do respeito que devemos ter aos animais, e da vontade de Deus sobre o trato de tais criaturas (os animais em geral).

   Este citou dentre outras coisas, um trecho bíblico o qual não fui capaz de encontrar nos Tomos conhecidos que conformam nossa Bíblia atual para aqui replicar.

   É certo que os animais como um todo, todas as espécies, desempenham um papel muito importante em nossas vidas, já que da harmonia de todos estes seres, e até mesmo de sua relação conosco, com os vegetais, se dá o sustento e a manutenção da vida.

   Nós muito pouco realmente sabemos sobre a vida e sobre os desdobramentos existentes, e é por isto que tão pouco percebemos a natureza divina que nos animais manifestam-se.

   Claro que há extremos e há delírios que muitas pessoas chegam. Digo de muitas vezes querer interferir na sábia natureza e defender a presa de seu predador ou mesmo de ansiar que uma criatura viva por um tempo maior do que sua natureza lhe permite, o que faz com que se desestabilize todo o ecossistema que sustenta a vida e este tenha de readaptar-se de maneira abrupta causando verdadeiras catástrofes que causam danos não apenas aos animais, vegetais, minerais mas à humanidade, a qual de certa maneira se faz responsável por estes delitos.

   Há diversos procedimentos que são adotados pelo bem humano, e mesmo pelo bem animal, que são verdadeiros delitos, questões completamente egoístas visto que a natureza e a vida é algo muito mais amplo do que aquilo que vemos e que imaginamos.

   O carinho, o cuidado, o respeito aos animais é indispensável e é necessário como já afirmamos, mas também temos de tomar muito cuidado para não cair em um outro extremo o qual muito comumente adentram muitos defensores de causas animais, cujas causas causam mais dano que qualquer benefício que seja, ainda que claro não percebam.



MDCLXV